O primeiro computador da história? Conheça o artefato de 2 mil anos

05 JUL 2016
05 de Julho de 2016

Por

Em um acidente de carro a rapidez com que os serviços de emergência chegam ao local pode determinar a sobrevivência das vítimas.

Quando um acidente ocorre em uma área urbana é fácil: testemunhas geralmente chamam uma ambulância.

Mas e no caso de um acidente em área isolada? E se as vítimas estiverem inconscientes?

Uma empresa da África do Sul desenvolveu um aplicativo para lidar com situações assim.

O CrashDetech monitora as viagens dos usuários usando uma função chamada "detecção smart-drive". Com esta função o app detecta um acidente de carro apenas usando os acelerômetros do próprio smartphone, os sensores presentes no dispositivo para medir a força da gravidade, movimento e, neste caso, impacto.

O app então indica a localização do motorista e aciona a ambulância mais próxima - com paramédicos que sabem o histórico médico do usuário - de forma automática.

"Tempo é o fator decisivo em caso de emergências e atrasos no atendimento médico com frequência são fatais", diz o presidente da CrashDetech, Jaco Gerrits.

"O CrashDetech detecta automaticamente um acidente de carro grave e imediatamente chama ajuda, transformando seu telefone em um dispositivo que salva vidas."

Mas, é claro, o aplicativo depende de você estar em uma área onde há sinal forte o suficiente para o seu celular estar conectado à internet ou se tiver wi-fi.

E o CrashDetech também não é totalmente novo. Existem caixas telemáticas para carros que podem fazer o mesmo e a União Europeia planeja introduzir essa tecnologia em carros novos a partir de abril de 2018.

Outro aplicativo também oferece um serviço parecido foi criado no Chile, o SOSmart. Ele envia alertas para uma lista de contatos de emergência elaborada pelo usuário caso detecte um acidente.

Mortes no trânsito

De acordo com a ONU, 1,3 milhão de pessoas morrem por ano no mundo devido a acidentes de trânsito. Até 50 milhões ficam feridas.

O perigo é ainda maior nos países em desenvolvimento, onde ocorrem 90% dos casos. E há a previsão de que as mortes anuais no trânsito aumentem para 1,9 milhão até 2020.

Mauritz Venter, analista da consultoria Frost & Sullivan, afirmou que estes aplicativos de segurança para smartphones estão cada vez mais populares e podem ajudar mais em países onde há grandes problemas de segurança e número alto de acidentes de trânsito.

"Mas também é importante que os recursos relevantes estejam disponíveis para garantir o funcionamento eficiente destas soluções de segurança", acrescentou.

"Por exemplo: conectividade no celular e também serviços que consigam responder rapidamente aos cenários de emergência relatados através do aplicativo de celular."

Ou seja: se você sofrer um acidente em um local isolado onde não há sinal de celular ou um bom serviço de ambulâncias, estes aplicativos não são muito úteis.

Mas, apesar das limitações em países com pouca conectividade da rede móvel e sistemas de saúde deficientes, Venter diz acreditar que as companhias de seguro irão começar a incorporar esses apps em seus produtos.

Segurança

Além de detectar acidentes de trânsito, já existem aplicativos para segurança pessoal.

Na Índia, o One Touch Response (OTR) permite que os usuários enviem sinais de alerta para o centro de controle da empresa criadora do app.

A OTR afirma que "equipes de assistência imediata" são acionadas e podem chegar ao assinante em minutos. Dependendo do tipo de incidente, a companhia também entra em contato com os serviços de emergência oficiais.

"Devido à crescente taxa de criminalidade, acidentes de trânsito e emergências médicas em nossas cidades, ter um mecanismo de resposta rápida e profissional é uma necessidade", afirma Manoj Chandra, presidente da OTR.

"Notamos que contar apenas com as agências de resposta estatais não é o bastante, pois há muitos números (de contato com serviços de emergência) para tipos diferentes de ocorrência. Não se pode esperar que uma pessoa se lembre de tantos números no meio de uma emergência."

A OTR trabalha com um sistema de um único contato, parecido com o número 911, o número de emergência dos Estados Unidos. Mas o app no entanto é pago, como uma assinatura, e está disponível para os usuários dos sistemas Android, iOS e Windows.

Violência contra mulheres

Além do botão "Me Ajude", o app OTR também tem o serviço "Me Encontre", que permite que os amigos e famíliares do usuário do aplicativo localizem a pessoa e fiquem sabendo onde ela está no caso de algum atraso inesperado, por exemplo.

O aplicativo apresenta um conceito que se popularizou no mundo todo com apps parecidos como o bSafe, nos Estados Unidos, e o WatchOverMe, na Malásia.

Manoj Chandra diz que seu app tem uma vantagem sobre os outros por ter sua própria equipe de emergência.

"As agências do governo já estão sobrecarregadas devido ao número de chamadas que recebem. Além disso, nem todas as situações são consideradas emergências por essas agências."

"Muitos apps de segurança foram lançados no mercado mas sem uma equipe de emergência própria, então não são muito úteis", afirmou Chandra.

A OTR diz ter 50 mil famílias assinantes e um crescente número de empresas entre seus usuários.

Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/internacional-36688007

Voltar